terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

MARIA JOSÉ, GERENTE DO PROGRAMA MALA DO LIVRO, É AGRACIADA COM A MEDALHA DO MÉRITO BURITI

Brasília tem o que comemorar.  O governo do DF vai entregar a 126 de seus servidores a Medalha do Mérito Buriti nesta terça-feira (21), a partir das 18h30, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.Uma das agraciadas com a Medalha será a educadora Maria José Lira Vieira, a popular Zezé da Mala do Livro, o programa de bibliotecas domiciliares criado em 1990 pela bibliotecária Neusa Dourado como política do GDF de incentivo ao Livro e a Leitura. 

Desde 1991, quando se integrou ao Programa Mala do Livro, a missão de vida de Maria José tem sido proporcionar que livros cheguem às mãos dos leitores, onde quer que eles se encontrem no DF e Entorno. Vinda da Paraíba onde nasceu, Maria José chegou a Brasília em 1984 para trabalhar no Intercambio Cultural da então Secretaria de Educação e Cultura. No ano de 1989 transferiu-se para a Samambaia que estava nascendo, desenvolvendo junto aquela comunidade o projeto "Universo Social", para descobrir quem era quem naquele ambiente de invasão que deu origem a uma das maiores cidades do DF.  Lá, passou a coordenar atividades culturais na recém criada Casa de Cultura de Samambaia, participando das primeiras ações do Programa Mala do Livro com sua idealizadora Neusa Dourado. Com ela, Maria José distribuiu  livros em sacolas para os primeiros agentes identificados em uma pesquisa que realizaram para chegar aos potenciais mediadores da leitura na região.

Hoje podemos encontrar Maria José nos espaços institucionais do Programa Mala do Livro na Biblioteca Nacional e na Secretaria de Cultura, seja animando a rede de agentes de leitura que a tem como referência ou fazendo a seleção de acervos a partir das doações de milhares de exemplares que chegam diariamente. São acervos que se destinam às 271 Malas do Livro domiciliares processadas e instaladas em Casas de Agentes, além de outras tantas existentes em entidades e estabelecimentos que se dedicam ao incentivo da leitura no Distrito Federal e  também em municípios que compõem a Ride em Goiás e Minas Gerais.


A Medalha do Mérito Buriti

Os homenageados deste ano são de diversos órgãos, trabalham há mais de dez anos no governo e serão agraciados por desempenharem as funções de modo relevante, com dedicação e zelo pelo serviço público, além de ética e compromisso.

“O objetivo de retomarmos a medalha é homenagear todos os servidores que se dedicam dia e noite para que seu trabalho seja bem realizado. E que todos nós cumpramos com nosso papel de servir ao público. Essas pessoas estão sendo homenageadas pelo amor com que fazem seu trabalho. É uma homenagem com muita sinceridade aos servidores que se dedicam para que nossa cidade seja sempre um lugar melhor”, explicou a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos.
A Medalha do Mérito Buriti é uma tradição no Distrito Federal. Na década de 1970, foi editado o Decreto nº 1.488, que já instituía a congratulação para servidores do DF com o mínimo de dez anos de efetivo exercício. O último evento para condecorar os servidores com a medalha ocorreu em 2010.
O decreto determina que a medalha seja destinada a servidor “sem qualquer falta ou punição que tenha desempenhado suas funções de modo relevante, demonstrando dedicação e zelo pelo serviço público ou por ter contribuído com sugestões, planos e projetos, não elaborados em decorrência de suas funções e que visem proporcionar aumento de produtividade, melhor racionalização ou economia dos gastos públicos”.

A solenidade será aberta ao público, ao som da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, que fará apresentação gratuita no Auditório Planalto.

Com a colaboração SECOM GDF

Dia internacional do contador de histórias em Brasilia

                        William Reis
Presidente da Associação Amigos das Histórias
               (61) 9844-4848