quarta-feira, 25 de março de 2015

Estudantes da rede pública do DF aprendem técnicas de animação e cinema

Coletivo Ora Bolas ensina crianças e adolescentes a produzirem histórias com brinquedos de criação da sétima arte. Projeto gratuito é patrocinado pelo FAC
Arqueologia da Animação, projeto produzido pelo Coletivo Ora Bolas, abrirá o fabuloso mundo do cinema e da animação aos estudantes da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal. Por meio de uma exposição itinerante e da confecção de brinquedos ópticos, a ideia é mostrar a eles algumas das técnicas de animação e como isso influi nas produções atuais. Tudo de graça e nas próprias instituições de ensino e em espaços públicos como o Zoológico de Brasília.
O projeto vai passar por escolas públicas do Distrito Federal, sendo algumas nas áreas rurais. A duração das visitas e das oficinas acontece de acordo com a disponibilidade das instituições. As escolas interessadas em receber o projeto devem entrar em contato com o Ora Bolas pelo e-mail o.b.orabolas@gmail.com ou arqueologiadaanimacao@gmail.com.
“Queremos levar a experiência do cinema para dentro das escolas como forma dinâmica de aprendizado para os estudantes”, conta Raquel Piantino, uma das idealizadoras do projeto. “Ao conhecerem a história da animação, eles poderão criar seus próprios brinquedos óticos e compartilhar o que aprenderam com outras pessoas, disseminando a arte entre seus amigos e familiares.”
Criação - Na exposição, os estudantes terão a oportunidade de conhecer a história do cinema e da animação por meio das réplicas dos dispositivos ópticos. Já nas oficinas os próprios estudantes poderão recriar os objetos.
Imagem inline 1


Entre os brinquedos que serão ensinados está o taumátropo. Trata-se de um pequeno disco com um desenho na frente e outro invertido no verso, preso por duas cordas amarradas uma em cada borda. Quando torcidas e esticadas, fazem o disco girar rapidamente transformando as duas imagens em uma, dando a impressão de movimento.
Outro dispositivo que será confeccionado é o estroboscópio. Ele também é composto por um disco, mas com imagens pintadas em sequencia em torno do eixo, visto pelas frestas através do espelho que, ao ser girado, dá vida aos desenhos.
Provavelmente um dos mais populares, o flip book também será apresentado às crianças e adolescentes. Conhecido como livro mágico, trata-se de fotos ou desenhos sequencias dispostos um cada página. Passando rapidamente com as mãos é possível criar dinamismo nas imagens.
Professores e estudantes também receberão o material didático desenvolvido especialmente para o projeto. Lá eles encontrarão detalhes da exposição e instruções de como fazer os brinquedos. O projeto é realizado com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Cultura do Distrito Federal. Está prevista ainda a produção de um vídeo para mostrar como foi a experiência com os estudantes.
Coletivo – O Ora Bolas é um coletivo de criação comprometido com a realização de projetos independentes, autorais e livremente educativos. Ele se aproxima de organizações que entendem o trabalho como meio de promover a transformação social por meio da difusão da arte em oposição às atividades humanas predatórias.
Composto pelas desenhistas e animadoras Raquel Piantino e Julia Libânio, e pela jornalista e escritora Tamara Costa, o grupo finalizou, em 2013, o curta de animação Encantadores de Histórias. O filme recebeu Menção Honrosa na 12ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis e circulou por diversos festivais do país. O trabalho foi todo feito manualmente: colorido e animado com papel, canetas, tintas e recursos gráficos apenas na finalização. Para assistir basta clicar aquiou no site do Filmes que Voam, do qual faz parte do acervo.
Serviço
Arqueologia da Animação – exposição itinerante por escolas públicas do Distrito Federal
Onde: Escolas da rede pública de ensino do DF e espaços públicos da cidade
Quando: até julho de 2015
Caso queira acompanhar uma das oficinas, basta entrar em contato. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário